CEAGESP - Entreposto Terminal São Paulo (ETSP)

 CEAGESP - Entreposto Terminal São Paulo (ETSP)

Vista ampla da entrada principal do ETSP - CEAGESP - Portão 3
CEAGESP - Entreposto Terminal São Paulo (ETSP)
Vista ampla da entrada principal do ETSP - CEAGESP - Portão 3

Bem vindos a mais um Especial Descubra Sampa, desta feita com uma inusitada atração turística de São Paulo, a famosa CEAGESP ou mais precisamente o Entreposto Terminal São Paulo (ETSP) da CEAGESP na Vila Leopoldina / Alto de Pinheiros.

A CEAGESP

A CEAGESP, sigla de Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo, foi instituída em Maio de 1969 com a fusão de 2 empresas que eram mantidas e administradas no passado pelo Governo do Estado de São Paulo, o Centro Estadual de Abastecimento (CEASA) e a Companhia de Armazéns Gerais do Estado de São Paulo (CAGESP), passando a ser a partir de sua criação uma empresa pública de capital aberto, uma sociedade anônima (S.A.), a qual passou em 1997 a ser vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e a partir de 2019 passou a tutela direta do Ministério da Economia do Governo Federal depois do processo de federalização que sofreu. A federalização da companhia estatal paulista se deu por conta da enorme dívida da empresa que o Governo Estadual tinha com a União e o antigo Banespa por volta de 1986, ano em que tentou leiloar 98% do controle da estatal na Bolsa por duas vezes, porém sem sucesso, quando o Governo Federal assumiu a companhia em troca de parte das dívidas do Estado com a União, ocorrendo assim a federalização em 1987. A importante função da CEAGESP é ser um meio físico e administrativo de intercâmbio da cadeia de abastecimento de produtos hortícolas no Estado de São Paulo, fazendo a ligação entre produtores hortifrutigranjeiros, de pescado e também produtores de flores e plantas ornamentais, nacionais e estrangeiros, com o setor de comércio varejista destes produtos. A estrutura atual da CEAGESP conta com 18 unidades ativas de armazéns, silos e graneleiros e mais 13 entrepostos para distribuição e comercialização instalados em pontos estratégicos do Estado de São Paulo, rede que faz a estocagem, controle de qualidade e logística dos produtos sob controle da mega empresa estatal, sendo a maior rede pública do tipo da América Latina. Toda esta estrutura garante que os alimentos comercializados pela CEAGESP cheguem com constância e qualidade à mesa dos consumidores do Estado, através do fornecimento da infraestrutura necessária nos entrepostos para que atacadistas, produtores rurais, cooperativas, importadores, exportadores, varejistas e agroindústrias possam comercializar suas especialidades de alimentos com a rede de comércio varejista e também com a venda direta a consumidores via vendas no atacado ou nos varejões que são promovidos nas unidades de distribuição. Alguns dos produtos comercializados nos entrepostos são frutas diversas (nacionais e importadas), legumes, verduras, flores e plantas ornamentais, pescados em geral, alho, batata, cebola, coco seco e ovos. A Companhia criada em 1969 centralizava a maior parte do abastecimento brasileiro e a partir de 1970 começou um processo de descentralização com a criação de novas unidades de estocagem e distribuição de produtos hortícolas e armazenagem de grãos, começando com a inauguração da primeira unidade de comercialização fora da capital, o Entreposto São José do Rio Preto, fomentando a aproximação e abastecimento entre as maiores regiões produtoras com as de maior demanda por alimentos. Sempre acompanhando as mudanças de consumo do mercado e para melhora do atendimento do consumidor final, a empresa criou em 1979 o primeiro varejão com produtos frescos a preços controlados, depois, em 1983, criou os sacolões para vender legumes e verduras por quilo a preço único, continuando as melhorias para o consumidor criou em 1984 os "comboios", que na prática eram mini varejões, até implementar a partir do final de 1994 o já famoso e concorrido varejão noturno no Entreposto São Paulo na Zona Oeste da Capital. Além da atenção para a melhora da distribuição e comercialização de mercadorias, a CEAGESP deu especial atenção também para o setor de estocagem, construindo a partir de 1970 uma rede de silos horizontais acoplados a graneleiros, os primeiros do tipo no Brasil, os quais eram usados a princípio para armazenar os estoques reguladores do Governo Federal, passando também a estocar açúcar ensacado, em face do boom de produção e exportação deste produto ocorrido a partir de 1986. Nota: Silos são grandes depósitos, em forma cilíndrica, para estocagem de produtos agrícolas. A "vedete" desta matéria é o Entreposto Terminal São Paulo (ETSP), o maior do gênero na América Latina, o qual visitamos para captar imagens e colher informações para este Especial Descubra Sampa, uma quase "cidade" em função de seu tamanho, volume de pessoas transitando pelo espaço diariamente e pela complexidade da estrutura, portanto vamos ao ETSP.
Close-up do Relógio da Torre, Marco Central da Ceagesp (ETSP)
CEAGESP (close-up do Marco Central - Relógio)
Close-up do Relógio da Torre, Marco Central da Ceagesp (ETSP)

O Entreposto Terminal São Paulo (ETSP)

Visitar o Entreposto Terminal São Paulo da CEAGESP é uma experiência incrível, tanto que até é uma das atrações turísticas de Sampa, sim virou atração, mais visitadas por locais e turistas. O gigantismo do complexo atacadista, o frenesi de pessoas, veículos e carregadores e seus carrinhos indo e vindo, o volume e variedade de mercadorias expostas impressionam os que por lá pisam pela primeira vez. Com diversas ruas internas e "bairros" formados pelos pavilhões de especialidades por produtos, áreas de estacionamento, centro administrativo ("prefeitura"), transito intenso de caminhões e veículos de carga, milhares de "moradores" (permissionários, empregados, carregadores, seguranças, visitantes, etc) e regras internas de conduta e trabalho pode-se dizer que a Ceagesp é uma "mini cidade" dentro da Cidade de São Paulo.
A implantação e construção do Entreposto São Paulo se deu quando em 1960 o Governo Estadual sentiu a necessidade da criação de um novo modal de distribuição de alimentos para a Região Metropolitana em vista da crescente demanda que se apresentava. Estudos e projetos foram iniciados por uma comissão nomeada para tal fim e decidiram criar um entreposto atacadista de distribuição de alimentos de capital aberto com controle majoritário do Estado, voltado à locação de espaços para terceiros, principalmente produtores, e para a comercialização de produtos hortigranjeiros, criando assim o CEASA. Para a construção do complexo escolheram uma área de charco que havia na Vila Leopoldina, terreno onde já existia um silo de estocagem, o Silo Jaraguá, com uma pequena estrutura de armazenagem, o CAGESP, projeto que agregou as duas estruturas em um espaço comum, com funções e administrações independentes a princípio. As obras do complexo começaram em 1962 e se estenderam até 1966, quando se deu a inauguração às pressas no mês de Março devido a uma enchente ocorrida no Mercado Municipal, o Mercadão, até então o maior polo de comercialização de hortaliças do Estado. Complexo inaugurado e a vida na Capital nunca mais foi a mesma, trazendo consigo uma série de melhorias para a rede varejista, para os produtores, os atacadistas, restaurantes de maior porte e para os consumidores em geral, além de impulsionar o crescimento do Bairro em seu entorno.
Umas das principais atrações do ETSP são os Festivais Gastronômicos Ceagesp, que são festivais sazonais incluindo o famoso Festival de Sopas Ceagesp, o Festival do Pescado e Frutos do Mar Ceagesp com duas Edições, de Inverno e Verão e o Festival de Camarão e Massas Ceagesp, todos atraindo um grande número de público. Os festivais são realizados no Espaço Gastronômico Ceagesp localizado na Praça do Relógio (Portão 4 da Ceagesp - Av. Dr. Gastão Vidigal, 1.946 - Vila Leopoldina) e também os eventos anuais da Santa Feira do Peixe (às vésperas da Semana Santa) e a Queima do Alho (arrecadação de fundos para as atividades sociais da Associação Nossa Turma dos permissionários). O Espaço Gastronômico está abrigado no edifício do antigo Restaurante do Ceasa, onde era servida a famosa e folclórica "sopa de cebola do Ceasa". Uma das coisas mais impressionantes do ETSP é assistir a movimentação frenética e contínua dos carregadores e seus carrinhos de carga, são mais de 3700 (!), por todo o complexo, os quais são os responsáveis pela movimentação interna das mercadorias comercializadas na Ceagesp, nome popular e como os Paulistanos chamam o Entreposto São Paulo. 
Abaixo um pouco do ETSP em imagens:
Vista ampla da Praça central do ETSP, conhecida como Praça do Relógio da Ceagesp
CEAGESP (Praça central)
Vista ampla da Praça central do ETSP, conhecida como Praça do Relógio da Ceagesp
Vista ampla da principal via de distribuição de tráfego interno no ETSP, a Rua do Relógio da Ceagesp
CEAGESP (Rua do Relógio - via principal)
Vista ampla da principal via de distribuição de tráfego interno no ETSP, a Rua do Relógio da Ceagesp

A estrutura da CEAGESP da Capital

O complexo da Ceagesp na Cidade de São Paulo engloba o ETSP - Entreposto Terminal São Paulo e pela Unidade de Armazenagem de São Paulo, dividida em duas partes, o FAP - Frigorífico de Armazenagem Polivalente e pelo Silo Jaguaré (vertical), englobando armazéns e silos horizontais também, ocupando uma incrível área de aproximadamente 640 mil m², um equipamento público de escala metropolitana, sendo o maior entreposto atacadista de alimentos do país e da América Latina, e terceiro maior do mundo. 
A administração local do Ceagesp é feita pelo Departamento de Entreposto da Capital (DEPEC), abrigado no edifício administrativo construído em 1966 na área da Praça do Relógio, sendo a Torre do Relógio com 52 metros de altura, construída em 1964 considerada como o Marco Central do Ceagesp da Capital (a torre abriga a caixa d’água da CEAGESP e o relógio nas quatro fachadas da torre foi instalado em 1973). 
Possui 40 edifícios pavilhões organizados em setores por tipos de produtos, sendo 39 deles subdivididos em boxes internos, os quais são locados aos atacadistas/produtores permissionários. Na parte dos pavilhões o destaque fica para o pavilhão central da Ceagesp, o Pavilhão do Mercado Livre do Produtor (MLP), sem divisões (boxes), do qual trataremos com mais detalhes abaixo devido a sua importância arquitetônica e suas múltiplas funções de uso no dia a dia do ETSP.
Os principais setores do Ceagesp estão divididos da seguinte forma: frutas com +- 124 mil m², pescados com +- 40 mil m² e legumes com +- 40 mil m², além do pavilhão coberto multifuncional central, batizado de MLP (Mercado Livre Produtor) com +- 33 mil m², pavilhão que abriga atividades itinerantes, como a concorrida Feira de Flores (desde 1967) e o Varejão da Ceagesp, inclusive o noturno. O setor de armazenagem conta com uma área de +- 61 mil m², com capacidade para armazenamento de 29 mil toneladas no total, sendo 20 mil ton. nos silos e mais 9 mil ton. nos armazéns. Ruas internas largas "organizam" e separam os setores e facilitam o grande fluxo de veículos e caminhões de cargas do complexo, que conta também com áreas de estacionamento para o público e outras especificas para caminhões.
Abaixo mais imagens da Ceagesp e logo em seguida informações do Pavilhão MLP:
Vista ampla de parte dos pavilhões APB e MLP (legumes e verduras) do ETSP da Ceagesp
CEAGESP (Pavilhão APB e Pavilhão MLP)
Vista ampla de parte dos pavilhões APB e MLP (legumes e verduras) do ETSP da Ceagesp
Vista diagonal do interior do Pavilhão Mercado Livre do Produtor da Ceagesp (verduras e legumes)
CEAGESP (Pavilhão Mercado Livre do Produtor) - vista diagonal
Vista diagonal do interior do Pavilhão Mercado Livre do Produtor da Ceagesp (verduras e legumes)
Vista ampla de uma das ruas do setor de legumes e verduras do ETSP da Ceagesp
CEAGESP (Rua do setor de legumes)
Vista ampla de uma das ruas do setor de legumes e verduras do ETSP da Ceagesp
Vista ampla do Pavilhão A (batata e cebola) do ETSP da Ceagesp
CEAGESP (Pavilhão A - Batata e cebola)
Vista ampla do Pavilhão A (batata e cebola) do ETSP da Ceagesp
Vista dos boxes de cebola e batata utilizados pelos permissionários do Entreposto Terminal São Paulo (ETSP)
CEAGESP (boxes de cebola e batata)
Vista dos boxes de cebola e batata utilizados pelos permissionários do Entreposto Terminal São Paulo (ETSP)
Vista de parte da rua do setor de frutas do ETSP da Ceagesp e alguns carregadores em ação
CEAGESP (carregadores do setor de frutas)
Vista de parte da rua do setor de frutas do ETSP da Ceagesp e alguns carregadores em ação
Vista ampla de um dos setores de carga e descarga do ETSP da Ceagesp
CEAGESP (carga e descarga)
Vista ampla de um dos setores de carga e descarga do ETSP da Ceagesp
Close-up de melancias estocadas na área da Praça da Melancia (setor de frutas) no ETSP da Ceagesp
CEAGESP (melancias na Praça da Melancia)
Close-up de melancias estocadas na área da Praça da Melancia (setor de frutas) no ETSP da Ceagesp
Vista ampla do Silo Jaguaré pintado nas cores da Bandeira Nacinal do ETSP da Ceagesp
CEAGESP (Silo Jaguaré)
Vista ampla do Silo Jaguaré pintado nas cores da Bandeira Nacional do ETSP da Ceagesp

O Pavilhão do Mercado Livre do Produtor (MLP)

Dentre as estruturas físicas da ETSP fizemos questão de fazer uma menção a parte do Pavilhão do Mercado Livre do Produtor (MLP) devido a duas peculiaridades do mesmo, uma pelo seu emprego em múltiplas funções de uso, abrigando a Feira de Flores e os Varejões diurno e noturno em dias e horários alternados e também por sua importância arquitetônica para a Cidade de São Paulo, onde para sua construção foram empregadas técnicas construtivas inéditas até então e seu estilo apoiado no Modernismo e Brutalismo. Projeto do Escritório Técnico J.C. de Figueiredo Ferraz do início de 1962, o pavilhão foi construído em duas etapas, a primeira (original) entre 1962 a 1966 e a segunda, quando o pavilhão foi duplicado em sua extensão em 1974, atingindo o incrível tamanho atual com 450 metros de comprimento e quase 40 metros de largura de vão livre, com uma cobertura de concreto protendido e um conjunto de 33 linhas de colunas/pilares em forma de “folhas poliédricas protendidas” com marquises apoiadas pela parte externa, com soluções de engenharia inéditas desenvolvidas pela equipe do projeto para sustentar a enorme e pesada cobertura. Tal proeza da engenharia e pioneirismo técnico é parcamente mencionada nos meios especializados de construção civil, sem menções na bibliografia de referência sobre a história da arquitetura brasileira do século XX  e a documentação original do projeto foi perdida em incêndios ocorridos no passado onde ficavam os escritórios da empresa. Uma pena, pois construções de menor importância da época são mencionadas e algumas foram até Tombadas. Uma ressalva: recentemente o sindicato dos floristas que fazem uso do espaço do pavilhão entrou com um pedido junto ao Condephaat para realizar estudos de Tombamento do mesmo.
Detalhe: As dimensões do pavilhão por si só chamam a atenção dos visitantes, porém cabe ressaltar que o mesmo não foi projetado por nenhum arquiteto e sim pela equipe de engenheiros encabeçada pelo engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz,  além de João Antonio Del Nero e José Lourenço Braga de Almeida Castanho, do escritório técnico contratado, os quais desenvolveram soluções novas em termos de engenharia para erguer a enorme e fascinante edificação.
Vista ampla da extensão do Pavilhão Mercado Livre do Produtor do ETSP da Ceagesp, parte construída em 1974
CEAGESP (Pavilhão Mercado Livre do Produtor - MLP)
Vista ampla da extensão do Pavilhão Mercado Livre do Produtor do ETSP da Ceagesp, parte construída em 1974

Os números impressionantes do ETSP

Para se ter uma ideia de como a Ceagesp é superlativa em vários aspectos iremos mostrar alguns "números" referentes ao complexo do Entreposto São Paulo:
- É o maior entreposto atacadista de alimentos da América Latina, com área de 271 mil m² útil construída
- Tem 2.750 permissionários (atacadistas e produtores), comercializando perto de 280 mil toneladas de alimentos por dia
- Gera cerca de 15 mil empregos diretos e indiretos
- O volume de visitantes e veículos por dia no complexo passa de 50 mil pessoas e 12 mil veículos
- Os produtos comercializados são provenientes de 1500 municípios de 22 estados brasileiros e de mais outros 19 países.
- Em 1977, após a ampliação do Pavilhão Mercado Livre do Produtor (MLP), foram vendidos 6,2 mil toneladas de produtos em um só dia, recorde mundial na época
- Volume anual de vendas: 3,4 milhões de toneladas, equivalente a 80,1% do total da rede CEAGESP
- Tem 3.700 carregadores (contratados ou autônomos), responsáveis pelo transporte interno das mercadorias comercializadas
- A Feira de Flores do ETSP comercializa, semanalmente, entre 800 e 1 mil toneladas de flores e plantas
- O Pátio do Pescado vende diariamente perto de 200 toneladas de peixes de 97 espécies (90% são de água salgada)
- O primeiro Varejão da Ceagesp SP, ocorrido em 22 de Setembro de 1979 com 723 barracas instaladas para atendimento ao público, recebeu a visita de quase 300 mil pessoas no dia, vendendo 800 mil quilos de hortifrutigranjeiros em apenas duas horas
Curiosidades: 1) Os produtos com maiores volumes de venda são laranja, tomate, batata, mamão e maçã. 2) Os principais compradores são feirantes, supermercados, peixarias, restaurantes, sacolões, além de consumidores finais (no caso dos Varejões e da Feira de Flores). 3) O Pátio do Pescado é gerenciado pelo Frigorífico de São Paulo (FRISP). 4) Os Varejões, voltados para o consumidor final, são organizados nos moldes de uma feira livre, contando com cerca de mil barracas com frutas, legumes, hortaliças, pescados, ovos, aves e cereais, inclusive com as tradicionais barracas de sanduíches de pernil, acarajés, espetinhos, pasteis e caldo de cana.
Close-up do Monumento aos Permissionários na Praça central do ETSP da Ceagesp, inaugurado em Dezembro de 2020
CEAGESP (Monumento aos Permissionários do ETSP - Ceagesp)
Close-up do Monumento aos Permissionários na Praça central do ETSP da Ceagesp, inaugurado em Dezembro de 2020

Ação Social da CEAGESP - ETSP

A Ceagesp mantém uma Instituição voltada às ações sociais em apoio a população de baixa renda, batizada como Banco CEAGESP de Alimentos (BCA), a qual atua junto aos permissionários para captar doações de alimentos comercializados no Entreposto de São Paulo para distribuição de kits com frutas, legumes e verduras às famílias em situação de vulnerabilidade social cadastradas no BCA. Além das ações sociais que ocorrem sempre às Quintas-feiras  na Praça da Batata (Portão 7 da Ceagesp), outras entidades também recebem doações dos permissionários via o BCA, sendo alguns hospitais beneficentes, associações beneficentes, lares de idosos e creches, com 257 cadastradas atualmente.
Vista ampla da área do Portão 7 do ETSP da Ceagesp, entrada da Praça da Batata, local da Ação Social semanal
CEAGESP (Portão 7 ETSP - Ação social)
Vista ampla da área do Portão 7 do ETSP da Ceagesp, entrada da Praça da Batata, local da Ação Social semanal
Vista ampla da Praça da Batata do ETSP da Ceagesp e parte do público cadastrado para receber as doações dos permissionários em Ação Social do BCA
CEAGESP (Praça da Batata - Ação social)
Vista ampla da Praça da Batata do ETSP da Ceagesp e parte do público cadastrado no BCA aguardando para receber as doações dos permissionários em Ação Social do Banco Ceagesp de Alimentos.

Localização (CEAGESP): Avenida Dr. Gastão Vidigal, 1946 - Vila Leopoldina

Muito obrigado pela sua visita ao Site e pelo interesse neste Patrimônio Turístico de São Paulo, objeto desta nossa matéria do Especial Descubra Sampa. Lembrando: matérias novas publicadas três vezes por semana. Até breve.

#saopaulo #descubrasampa #sp #sampa #sergiobrisola
Fotografias e texto com proteção garantida pela Lei de Direitos Autorais - 9610/98, Artigo 79